4 de set de 2011

Sofreguidão

Eu tenho sede de amar
Mas não um amor singular
Preciso de amor casal
Para o meu corpo ancorar

Percorro todos os becos
Na escuridão aos atropelos
Vou seguindo essa jornada
Noite a noite a procurar

Tantos encontros na noite
Mas nenhum é o refugio
Vivo fugindo das fugas
Eu quero um amor profundo

Preciso meu porto achar
Para aconchegar meu corpo
Derramar os meus tesouros
E poder me agasalhar
(Glorinha Gaivota)