15 de mar de 2012

E é você quem controla o meu (am)ar

Eu não exijo que você se lembre de todas as nossas datas. Eu não quero que você seja a perfeição em pessoa.
Eu só quero que você acredite no amor. Eu exijo que o meu amor seja importantíssimo pra você. Superlativo elevado ao cubo. Eu morrerei no dia em que seus olhos não brilharem mais. Eu respiro palavras, então por favor, não me asfixie, me deixando no seu silencio. Você pode falar com os olhos. Das suas mãos saem letras, dos seus sorrisos, as palavras brotam.
Diante disso, eu lhe peço: não se cale. Não sufoque o meu coração. Não abafe a minha alma. Pois é nas palavras que eu respiro. É no seu peito que eu existo. É no seu olhar que meus pulmões se afogam em oxi-gênio. E pra mim, nada melhor que isso. Pois tenho alma asmática. E é você quem controla o meu (am)ar.